Pular para o conteúdo

Psoríase é contagiosa? Mitos e verdades sobre a doença

psoriase é contagiosa

Psoríase é uma doença crônica de pele que afeta cerca de 3% da população mundial. Apesar de ser uma doença comum, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre ela, especialmente em relação à sua transmissão. A questão da psoríase ser contagiosa ou não é frequentemente levantada, e é importante esclarecer essa dúvida para acabar com a desinformação.

Psoríase é contagiosa?

A psoríase não é contagiosa. Isso significa que não é possível pegar a doença pelo contato com uma pessoa que a possui. A psoríase é uma doença autoimune, o que significa que é causada por uma falha no sistema imunológico do próprio corpo. Isso faz com que as células da pele se multipliquem de forma acelerada, resultando em lesões e manchas vermelhas e escamosas na pele.

O que é Psoríase

A psoríase é uma doença autoimune que afeta a pele e pode causar coceira, dor e descamação. A condição é causada pelo sistema imunológico que ataca as células saudáveis da pele, fazendo com que elas se acumulem na superfície da pele. A psoríase não é contagiosa e não é causada por uma infecção.

Tipos de Psoríase

Existem vários tipos de psoríase, cada um com sintomas e características diferentes. Os tipos mais comuns incluem:

  • Psoríase em placas: a forma mais comum da doença, que causa manchas vermelhas e escamosas na pele.
  • Psoríase gutata: geralmente afeta crianças e jovens adultos e causa manchas pequenas e finas na pele.
  • Psoríase invertida: afeta as dobras da pele, como as axilas e a virilha.
  • Psoríase pustulosa: uma forma rara da doença que causa manchas cheias de pus na pele.
  • Psoríase eritrodérmica: uma forma grave da doença que pode afetar todo o corpo e causar coceira intensa e descamação.
  • Psoríase ungueal: afeta as unhas, causando descoloração, espessamento e deformação.

Causas e Fatores Genéticos

Embora a causa exata da psoríase não seja conhecida, sabe-se que a condição é causada por uma combinação de fatores genéticos e ambientais. Pessoas com histórico familiar de psoríase têm maior probabilidade de desenvolver a doença. Além disso, certos fatores ambientais, como o estresse, podem desencadear ou piorar os sintomas da psoríase.

Em resumo, a psoríase é uma doença autoimune que afeta a pele e pode causar vários sintomas. Existem vários tipos de psoríase, cada um com sintomas e características diferentes. Embora a causa exata da doença não seja conhecida, sabe-se que a condição é causada por uma combinação de fatores genéticos e ambientais.

Sintomas e Diagnóstico

Identificação das Lesões

A psoríase é uma doença crônica da pele que pode apresentar diferentes sintomas, sendo a principal característica o surgimento de lesões avermelhadas com descamação. As lesões podem aparecer em qualquer parte do corpo, mas são mais comuns no couro cabeludo, cotovelos, joelhos e costas. As placas podem variar de tamanho e forma, podendo ser pequenas manchas vermelhas ou grandes áreas descamativas.

Exames e Consulta Médica

O diagnóstico da psoríase é feito por um dermatologista, que avalia as lesões e a história clínica do paciente. Em alguns casos, pode ser necessário realizar exames complementares, como biópsia da pele, para confirmar o diagnóstico e excluir outras doenças de pele. O tratamento da psoríase varia de acordo com a gravidade da doença e inclui o uso de medicamentos tópicos, fototerapia e medicamentos sistêmicos.

É importante salientar que a psoríase não é contagiosa e não representa risco para outras pessoas. Caso você apresente lesões de pele com descamação e vermelhidão, é recomendável buscar orientação médica para um diagnóstico preciso e tratamento adequado.

Tratamentos Disponíveis

Medicamentos e Cremes

Existem muitos medicamentos e cremes disponíveis para tratar a psoríase. Os medicamentos tópicos, como cremes e pomadas, podem ser úteis para tratar a psoríase leve a moderada. Alguns exemplos incluem corticoides, anti-inflamatórios e hidratantes. Esses medicamentos podem ajudar a reduzir a inflamação, aliviar a coceira e hidratar a pele.

Para casos mais graves de psoríase, podem ser necessários medicamentos sistêmicos. Esses medicamentos são tomados por via oral ou injetados, e podem incluir biológicos e outros medicamentos imunossupressores. Esses medicamentos ajudam a reduzir a inflamação em todo o corpo, o que pode ajudar a aliviar os sintomas da psoríase.

Terapias Avançadas

Além dos medicamentos, existem várias terapias avançadas que podem ajudar a tratar a psoríase. A fototerapia é uma opção popular, que usa luz ultravioleta para reduzir a inflamação e aliviar os sintomas da psoríase. Existem também terapias de laser e outras terapias de luz que podem ser úteis.

Cuidados Pessoais

Além do tratamento médico, existem várias coisas que as pessoas com psoríase podem fazer para ajudar a gerenciar seus sintomas. Isso inclui manter a pele hidratada, evitar gatilhos conhecidos, como estresse e infecções, e evitar lesões na pele. Também é importante manter uma dieta saudável e equilibrada, e fazer exercícios regularmente.

Impacto na Qualidade de Vida

A psoríase é uma doença crônica que pode afetar significativamente a qualidade de vida do paciente. Além dos sintomas físicos, como placas vermelhas e descamação da pele, a doença pode causar estresse, depressão e baixa autoestima.

Convivendo com Psoríase

Pacientes com psoríase muitas vezes enfrentam preconceito e discriminação devido ao aspecto visual da doença. Isso pode levar a problemas de autoestima e isolamento social. A Sociedade Brasileira de Dermatologia recomenda que os pacientes busquem apoio de grupos de suporte e de profissionais de saúde mental para ajudá-los a lidar com esses desafios.

Além disso, é importante que os pacientes com psoríase tomem medidas para evitar o agravamento da doença. Isso inclui evitar gatilhos conhecidos, como estresse, tabagismo e consumo excessivo de álcool. Também é importante manter uma rotina de cuidados com a pele, incluindo hidratação e uso de medicamentos prescritos pelo dermatologista.

Suporte Psicológico

O estresse e a depressão são comuns em pacientes com psoríase, e podem piorar a condição da pele. Por isso, é importante que os pacientes recebam suporte psicológico adequado. Isso pode incluir terapia cognitivo-comportamental, meditação e outras técnicas de relaxamento.

Os pacientes também devem ser incentivados a buscar ajuda profissional se estiverem enfrentando problemas de saúde mental. O tratamento da psoríase deve ser abrangente e incluir não apenas o cuidado com a pele, mas também o suporte emocional necessário para melhorar a qualidade de vida do paciente.

Mitos e Verdades

Psoríase e Contágio

A psoríase é uma doença crônica da pele que não é contagiosa. Isso significa que não é possível contrair psoríase de outra pessoa por meio do contato físico, como aperto de mão, abraço ou beijo. A psoríase é uma doença autoimune, o que significa que o sistema imunológico do corpo ataca as células saudáveis da pele, causando inflamação e descamação.

Embora a psoríase não seja contagiosa, é importante lembrar que a condição pode ter um impacto significativo na qualidade de vida de uma pessoa. A psoríase pode ser dolorosa, desconfortável e embaraçosa, especialmente se ela afeta áreas visíveis da pele, como o rosto, as mãos e os braços.

Psoríase e Cura

Atualmente, não existe cura para a psoríase. No entanto, existem muitas opções de tratamento disponíveis que podem ajudar a controlar os sintomas e melhorar a qualidade de vida das pessoas com psoríase.

Os tratamentos para a psoríase podem incluir medicamentos tópicos, como cremes e loções, terapia com luz UV, medicação oral e injeções. O tratamento escolhido dependerá da gravidade da psoríase e de outros fatores, como a idade e a saúde geral da pessoa.

É importante lembrar que o tratamento da psoríase pode ser um processo de tentativa e erro, e pode levar tempo para encontrar o tratamento certo para cada pessoa. Além disso, é importante seguir as instruções do médico e manter um estilo de vida saudável para ajudar a controlar a psoríase.

Assista ao vídeo para entender melhor sobre a psoríase ser contagiosa.

Mais
artigos

Inscreva-se na nossa newsletter para acompanhar todo o conteúdo sobre as

Doenças da Pele!